Procurar
Close this search box.

Consumo de fertilizantes na União Europeia 2019-2029

Por Pilar García-Serrano

Nos próximos dez anos, estão previstas reduções de 3% no consumo de nitrogénio e aumentos de 1,4% e 4,9% no consumo de P2O5 e K2O, respetivamente.

O relatório intitulado Forecast of food and farming and fertiliser use (Previsão da utilização de produtos alimentares, agrícolas e fertilizantes) é realizado anualmente por especialistas dos países membros da União Europeia e coordenado pela associação Fertilizers Europe. Este trabalho é reconhecido pelas instituições europeias e internacionais com competência nos domínios da agricultura e da alimentação como um exercício rigoroso e independente a ter em conta na elaboração das políticas.

A última previsão, que acaba de ser publicada, aponta para um consumo a longo prazo de 11,1, 2,7 e 3,2 milhões de toneladas de N, P2O5 e K2O, respetivamente, a aplicar em 133 milhões de hectares de culturas. Pelo terceiro ano consecutivo, as previsões são negativas para o nitrogénio e continuam a recuperar dos níveis anteriores à crise de 2008/2009 para P2O5 e K2O. Alguns dos fatores indicados como os principais responsáveis por esta evolução são: a tendência negativa dos preços dos produtos agrícolas e a forte influência da regulamentação ambiental.

A área agrícola da UE abrange, atualmente, 133,8 milhões de hectares, dos quais 89,2 milhões são fertilizados anualmente. Deste valor, 78% são dedicados a culturas arvenses, 16% a prados fertilizados e 6% a culturas permanentes. Estima-se que, em toda a UE, a superfície destinada a culturas de cereais diminuirá 1% nos próximos dez anos, bem como a superfície de culturas de batata, beterraba e colza. Globalmente, as produções manter-se-iam graças aos aumentos previstos dos rendimentos.

Em termos de consumo de nitrogénio, estão previstas reduções de 6,4% na Europa Ocidental, enquanto na Europa Central e Oriental são esperados aumentos de cerca de 5,1%, embora ligeiramente inferiores às previsões anteriores. No que respeita a P2O5 e K2O, a maioria dos países da UE-28 prevê uma recuperação do consumo.

Embora estejam previstos aumentos nos rendimentos das principais culturas, por exemplo 7% nas de cereais, a nível global, o consumo dos três principais nutrientes deverá registar uma ligeira descida de pouco menos de 1%. Em contrapartida, prevê-se que os baixos níveis de fertilização melhorem em culturas como as de colza e culturas forrageiras. Os especialistas consideram que a melhoria dos rendimentos resultará do investimento e da inovação, da melhoria das práticas de cultivo e de importantes melhorias nos fertilizantes e nas técnicas de fertilização.

Continuar lendo

Imagen para el interior de la noticia
Imagen para el interior de la noticia
Imagen para la noticia

Fertiberia, uma referência na produção de hidrogénio verde e amoníaco de baixo carbono, bem como soluções de nutrição vegetal de elevado valor acrescentado e ambientais para a indústria.

O que fazemos

Criamos e fabricamos os produtos mais eficientes e sustentáveis para a agricultura e a indústria.

Ferramentas

Serviços para facilitar as tarefas diárias dos nossos clientes.

ESG

Os nossos pilares para garantir investimentos sustentáveis, inovadores e empenhados.

I+D+i

Investigação, desenvolvimento e inovação para um crescimento sustentável e responsável.

Contacte-nos

Scroll to Top